CENA
Quinta-feira, 15 de Janeiro de 2009
Desafios do Macaco Inimigo VII

 

À entrada para a sua sétima semana de absoluta invencibilidades, Macaco-Inimigo recebia um dos nomes mais emblemáticos da canção popular lusa: José Crispim, a face masculina do dinâmico duo "Ele e Ela". Macaco-Inimigo, em declarações à imprensa da especialidade, revelou ser deveras importante o alcance da sétima vitória consecutiva, como forma de se afirmar, ainda mais, como a maior potência bélica da CPLP. Macaco-Inimigo fez notar ainda que a internacionalização é o seu objectivo seguinte (após contundente vitória sobre um brasileiro) e, nesse sentido, uma vitória sem espinhas sobre Crispim assumia contornos de quase obrigatoriedade. Crispim, desculpando-se com um afável gesto, não fez qualquer declaração pré-duelo porque estava a resolver um equívoco por telefone.

 

 

 

 

Gelado de que sente mais saudades:

 

JOSÉ CRISPIM: Calippo de Cola

MACACO-INIMIGO: Pé

 

Vantagem: José Crispim



   

Vezes em que foi o primeiro a chegar a uma festa:

 

JOSÉ CRISPIM: sempre

MACACO-INIMIGO: quase sempre

 

Vantagem: José Crispim

 


  

Tropa:

 

JOSÉ CRISPIM: passou à reserva porque já era pai de três garotos

MACACO-INIMIGO: não fez, fingiu que ouvia mal de um ouvido.

 

Vantagem: José Crispim

  


   

Relação com o plástico bolha de ar:

 

JOSÉ CRISPIM: rebenta todas as bolinhas, sempre todo contente

MACACO-INIMIGO: começa entusiasmado, mas farta-se a meio e vai fazer outra coisa

 

Vantagem: José Crispim

  


  

Quando vai buscar alguém a casa:

 

JOSÉ CRISPIM: apita até a pessoa sair

MACACO-INIMIGO: manda toques de telemóvel até a pessoa sair

 

Vantagem: José Crispim

 


  

Quando sai à noite:

 

JOSÉ CRISPIM: leva a esposa e um casal amigo

MACACO-INIMIGO: acaba a noite em casa de alguém e arrepende-se sempre

 

Vantagem: José Crispim

 

   


 

Conclusão: E é a surpresa da década, no que diz respeito a este desporto milenar. Macaco-Inimigo, invicto até à data, levou seis secos de José Crispim, que, diga-se de passagem, nem parecia estar no seu melhor em termos físicos, revelando mesmo alguma fadiga em determinados momentos. Por um lado, ainda bem que assim foi, porque houve espaço e oportunidade para assistirmos a uma majestosa gestão de esforço e controlo da situação por parte de José Crispim. Macaco-Inimigo sai sem honra, tampouco glória, uma vez que o júri lhe deu um grande raspanete por ter mentido na inspecção para a tropa. Macaco-Inimigo ainda tentou fingir que ouvia mesmo mal de um ouvido, mas passado um bocadinho esqueceu-se e olhou quando o chamaram. O júri não tolera mentiras e Macaco-Inimigo terá cometido aqui o maior erro da sua carreira; carreira essa que, relembramos, se encontrava imaculada até à data. Uma nota final para o vencedor, José Crispim, que revelando fair-play de calibre ímpar, emprestou uns cabos para carregar a bateria do carro da Macaco-Inimigo, que não pegava.



publicado às 00:00
comentar

Comentários

De Pedro de Almeida a 20 de Janeiro de 2009 às 03:15
enquanto vejo novas rubricas a aparecer, começo a temer que nunca veja o resultado do desafio que eu (e certamente mais um ou dois - só não é mais dois ou três porque o parolo do meu vizinho tem a mania do Steven Seagal ..) mais ambicionava: Chuck Norris VS Macaco Inimigo... :(



De não se sabe a 16 de Janeiro de 2009 às 11:23
sem encanto, thou art


De maggs_hp a 15 de Janeiro de 2009 às 23:06
Estou chocada, mas acredito q o próximo desafio vai ser ganho plo macaco-inimigo.


De José Crispim a 15 de Janeiro de 2009 às 18:37
eu só quero os cabos de volta...


De Alexandre Kulcinskaia a 15 de Janeiro de 2009 às 17:34
Senhores do Gana. Depois de tantas constatações de que este desafio foi uma autêntica trapaça ninguém se digna a dar uma justificação aos leitores?!
_________________________________
http://kulcinskaia.blogs.sapo.pt/


De Figas a 15 de Janeiro de 2009 às 17:12
José Crispim não é aquilo que parece.
Vamos conhecer mais um pouco acerca desta personalidade.
José Crispim trapaceou várias pessoas para ganhar torneios de Káraoké de forma a ganhar fama como cantor.
José Crispim rima com Fernando Alvim.
José Crispim É O DEMO! O DEMO!


De lgsb a 15 de Janeiro de 2009 às 15:05
Após a derrota - não tão inesperada quanto isso - de Macaco-Inimigo, anseio por um confronto Macaco-Inimigo Vs. Einstein ("vamos testar o teu Q.I.") ou Macaco-Inimigo Vs. Rapaz que joga basquetebol.


De Antonio Tavares a 15 de Janeiro de 2009 às 14:16
É verdade que a minha grande vontade era de o Macaco-Inimigo encontrar um tomba-gigantes, mas ao menos que perdesse com justiça. Em 6 critérios, 4 das decisões do júri podem ser contra-argumentadas.

Isto assim não funciona. É subornos e incompetência, parece que voltei a acompanhar o lacrosse.


De Figas a 15 de Janeiro de 2009 às 13:56
Consta que o tal "equívoco" por telefone que Crispim se encontrava a resolver antes do duelo, era a finalização de um pagamento chorudo a outras entidades. Entidades essas que eram, precisamente, os juízes(havia um que preferiu uma acompanhante de luxo)do duelo prestes a acontecer. Estamos perante um caso claro de corrupção e, sendo inadmissível, propõe-se a revogação imediata do título ao Soutôr Crispim(incluindo ou não agressão verbal) e o despedimento dos juízes.

Já não é a primeira vez que este senhor é apanhado nas teias da corrupção, pois ainda nem 3 semanas passaram, ele ganhou um torneio de Karaoke no café do Sr. Alhadas em que foi levado no colo até à final e depois calhou-lhe, como previsto, o Mamma Mia dos Abba enquanto o seu adversário teve de se safar com uma daquelas músicas difíceis(que às vezes punham no programa do Herman já no final) de Natal que ninguém gosta. Escutas telefónicas registam vários telefonemas ao proprietário do Bar - Amílcar(não vou revelar o último nome, porque é brejeiro), dias antes desse torneio.

Calippo de Cola é, efectivamente, bastante mais fraco que um Pé e isso é uma prova suficiente para suspeitar de Crispim e dos juízes.

Resta-me dizer excelente trabalho, meus senhores, por relatar o acontecimento com o máximo de precisão. Vamos pôr fim a isto.


De José Carlos Santos a 15 de Janeiro de 2009 às 13:02
Preocupa-me o cariz de finalidade que apresentam todos os soquetes desta semana. Para além da prolongada e agonizante ausência do Aleixo-adulto da SIC do cabo, é o Aleixo-garoto quase-quase a não conseguir dar a volta à professora, é o "Epílogo" do El Luchador e agora uma derrota, sem apelo nem agravo, daquele que era o maior símbolo da invencibilidade lusitana desde o Carlos Lopes. A minha preocupação só é amenizada se:

- O Aleixo-adulto voltar à transmissão no próximo Domingo, com um episódio NOVO às horas de sempre, sem essas mariquices de 10 da noite;
- O Aleixo-garoto enrolar a professora com a limpeza que lhe é sobejamente reconhecida, no próximo episódio;
- O El Luchador aparecer na consulta com a cunhada (em calças de algodão, daquelas fininhas cinzentas);
- O macaco-inimigo derrotar, sem apelo nem agravo também, o Carlos Lopes, na próxima ronda.


Comentar

Últimos notícias