CENA
Quinta-feira, 29 de Janeiro de 2009
Crónicas do Dr. Ribeiro (2)

Sobre a Manobra da Retaguarda, também chamada, a Manobra do Desenlace

 

Tempos houve em que toda a população da Lousã era servida por apenas dois médicos, Eu, e o Diamantino, o veterinário.

 

De um modo geral, nunca nos metíamos no trabalho um do outro…ele passava o tempo no campo, tratando maioritariamente bovinos e caprinos, enquanto que eu, na altura detentor de uma jovialidade e pujança invejáveis, ocupava o meu dia a ver, mais coisa, menos coisa, cerca de 20 doentes de ambulatório, deixando para fazer à noite, aquilo que mais gostava, ou seja, a orquestrar e a organizar o Grande Congresso Médico da Lousã. Este evento realizava-se todos os anos no primeiro sábado do mês de Setembro, sendo que naquele exacto ano de que trata esta crónica, prometia festa brava, pratos regionais e palestrantes oriundos dos mais diversos pontos do país.

 

Ora sobre o Diamantino, diziam-se raios e coriscos! Os mais velhos da terra contavam histórias dantescas deste homem, pelo que não se ficavam pela alcunha de O Cangalheiro de Ovelhas, visto que detalhavam ainda os pormenores mais sombrios por ele protagonizados. Entre muitos episódios, dizia-se que um dia, em pleno parto de uma vaca, Diamantino estaria ligeiramente alcoolizado, o que supostamente o teria levado a utilizar fórceps de uma forma abrutalhada…o resultado final terá sido um pequeno bezerro, que ainda hoje exibe um pedaço de fórceps incrustado no crânio, que se decidiu nunca extrair, tendo em conta o perigo de hemorragia interna. Ora o ferro no focinho não seria coisa constrangedora para um animal, não fosse o facto de a lesão cerebral lhe ter prendido as patas do lado direito, e logo incapaz de acompanhar a sua manada.

 

Noutra ocasião, consta que Diamantino terá “abafado” um periquito num copo de aguardente, acto vil e aparentemente injustificado. O Prior viria até a mencionar esta inusitada história num sermão.

 

Comigo o Diamantino sempre se comportou como um verdadeiro senhor, pelo que nunca puxei estes assuntos.

 

Então, um dia em que eu estava já no último doente, a Enfermeira Manuela entra-me pelo gabinete adentro e grita o seguinte: “Doutor Ribeiro! A égua Lusitana está a dar à luz! Venha depressa, que as águas já rebentaram! Ajude-nos! Ajude a Lousã!”. Eu, ainda estupefacto, terei perguntado o que é que um médico especializado em medicina geral e familiar ia fazer para um parto de uma égua!...mas a Manuela foi clara na resposta, que eu decerto modo já esperava…respondeu ela:”Doutor Ribeiro, ninguém encontra o Doutor Diamantino! E esta égua já nos deu em tempos um campeão nacional, o Garanhão Lousanense, pelo que este segundo potro precisa de ser tirado cá para fora com vida! O Doutor Ribeiro é a única pessoa que nos pode ajudar! Venha!”

 

Bem, não tive tempo para reflectir…vesti de novo a bata, pus o estetoscópio ao pescoço, e corri de mão dada com a Manuela até à Quinta do Vilar Branco! Quando cheguei, um espectáculo de sofrimento esperava por mim. A coitada da égua chorava a olhos vistos, as águas ensanguentadas coloriam agora o chão da estrebaria e os caseiros estendiam as mãos à cabeça. Perante este quadro de aflição, enchi o peito de ar e disse:”Tragam-me umas luvas! A Lousã vai ter um novo Garanhão!”. E comecei a esgravatar o canal de parto…e logo de súbito me deparo com um quadro ainda mais aterrador…o pequeno potro tinha o cordão umbilical enrolado à volta do seu pescoço…fiquei mortificado! Sem saber o que fazer!

 

Esperei uns segundos e surgiu-me a Revelação! Veio-me à memória a Teoria da Retaguarda do Saudoso do Doutor Andrade! Gritei então bem alto para a Manuela: “Tem que ir à Retaguarda”. E ela percebeu o que eu estava a dizer…então, enquanto eu segurava na cabeça do vulnerável potro, a Manuela introduziu o seu antebraço direito desnudado no ânus da égua…já no interior fez a manobra do desenlace que em tempos eu lhe tinha ensinado…uma manobra fácil, em que bastava agitar o feto batendo três vezes com vigor na parede rectal anterior…e ela assim fez, com uma mestria inigualável…nisto, eu sinto o cordão a desprender-se e o Garanhão é puxado cá para fora com vida, para felicidade dos caseiros e de todos os outros que estavam presentes na estrebaria!...Eu tinha salvo a vida daquele pequeno potro! Entretanto a Manuela retirou o antebraço e fomos todos para casa descansar…O sacana do Diamantino nunca mais foi visto na Lousã.

 



publicado às 00:00
comentar

Comentários

De mr. john a 9 de Abril de 2010 às 17:38
Estas crónicas são de partir a rir mas estes comentários ainda são mais


De Inês a 16 de Outubro de 2009 às 13:05
O Dr. Ribeiro é da Lousã? :O


De Pedro a 2 de Março de 2009 às 17:40
Emocionei-me ao imaginar o Doutor Ribeiro a correr de mão dada com a Enfermeira Manuela, campo fora...

Um amor impossível que por um momento se concretiza.
O esforço de salvar duas vidas, salvando uma.
Um simples "mão na mão" com tanto significado...

Não consegui conter as lágrimas.


De Possante a 29 de Janeiro de 2009 às 15:13
O Diamantino nunca mais foi visto.. na Lousã! Porque depois foi jogar para o Benfica! (Continuando a beber)


De César a 29 de Janeiro de 2009 às 14:53
A pergunta que se impõe é: como é que uma enfermeira como a Manuela aprendeu a realizar a manobra do desenlace com tal mestria?
Importa indagar quais terão sido os métodos usados pelo Soutor Ribeiro que marcaram de tal forma a Manuela, que esta imediatamente percebeu o que teria que fazer.
Parece-me que a Manuela é que foi a heroína nesta crónica...


De Xavi a 29 de Janeiro de 2009 às 14:35
Na Internet há vídeos do Garanhão da Lousã a fazer "Manobra de Retaguarda" numas senhoras do leste da Europa...


De Paulo a 10 de Abril de 2010 às 02:17
Hahahah, é verdade!


De Alexandre Kulcinskaia a 29 de Janeiro de 2009 às 12:14
Consta que o Diamantino se amantizou com uma ovelha devido ao facto de a sua mulher ser uma cabra.
Foi o que ouvi dizer.
_________________________________
http://kulcinskaia.blogs.sapo.pt/


De Jacinto a 29 de Janeiro de 2009 às 21:21




De Alexandre Kulcinskaia a 29 de Janeiro de 2009 às 22:11
Pois, também tive essa reacção.
_________________________________
http://kulcinskaia.blogs.sapo.pt/


De Jacinto a 30 de Janeiro de 2009 às 16:12


De jubamelosa a 29 de Janeiro de 2009 às 10:06
o diamantino é um merdas


De JV a 29 de Janeiro de 2009 às 11:32
A crónica foi boa, mas acho que ainda me ri mais com este comentário! LOL


De senhorpatrao a 29 de Janeiro de 2009 às 19:23
podes ter a certeza, foi de rei este comentario lol
ah se te apanho diamantino


De Diamantino a 30 de Janeiro de 2009 às 11:22
Ai o merdas sou eu? Está bem, está bem...


De borda d'água a 29 de Janeiro de 2009 às 09:02
Sim... mas, e então? Deu campeão ou não deu campeão?


De Pedro de Almeida a 29 de Janeiro de 2009 às 04:20
esta história cheira-me mal... muito mal mesmo...


Comentar

Últimos notícias