CENA
Sexta-feira, 17 de Julho de 2009
Choco Gourmet

 

Produtor: Monte Ravy

 

Colecção: Gourmet

 

Outras informações: sobremesa de natas batidas com cobertura de creme de chocolate e avelãs (88%)

 

A embalagem tipo-balde-elegante

de Choco Gourmet

 

Avaliação: com uma definição indecisa e de textura visualmente um tudo-nada lodosa, este produto tenta tocar graciosamente o melhor de dois mundos: o dos garotos, com a sua faceta Choco, e o dos adultos pretensiosos, com a sua marcada essência Gourmet. É bom notar que estamos perante um clássico pós-pasto composto por duas camadas. A saber, uma maior, a de chocolate, no topo; e outra mais ligeira, de nata, no fundo. Ambas gourmet, bem entendido. Um dos pontos positivos que logo se destaca é o facto de este produto ter sugestão de apresentação na tampa, o que se consolidará sempre como auxílio decisivo para todas aquelas pessoas sem grande formação ao nível da refeição de requinte. Contudo, poderá sempre rebelar-se e optar por rejeitar essa sugestão de apresentação – que, já agora, recomenda que se ocupe cada colherada com 80% de chocolate e 20% nata (valores indicativos, a olho) –, comendo primeiro só o chocolate e depois a nata ou vice-versa, embora esta segunda hipótese seja mais trabalhosa. A opção de comer uma das camadas sozinha sempre foi alvitrada apenas a indivíduos de estômago forte, sendo, em princípio, desaconselhada a garotos. Todavia, não sendo nada incomum um garoto querer fazer o que não deve, deixe-o comer o chocolate todo primeiro à vontade e só depois a nata. Depois, quando ele se vier queixar de dores de barriga, não o deixe jogar o  seu segundo videojogo preferido (caso tenha optado por criar os seus filhos segundo cânones mais modernos) ou dê-lhe uma firme chapadona (se prezar uma educação tradicional e austera). A intromissão das notas de avelã é que acaba por ser revelar como demasiado ténue, ainda que esta desilusão acabe por ser, em parte, compensada pelo facto de a tampa ser fácil de lamber e vir pouco sabor metálico à boca. Na verdade, tenho que o dizer, estamos na presença de um produto que nunca se sentenceia. Se, por um lado, e a título de exemplo, a sobriedade do seu creme o comprazerá em momentos de carência afectiva, por outro, a sua embalagem de 200 gramas, sensivelmente o dobro de qualquer prato principal de gourmet, fá-lo-á sempre desconfiar das suas verdadeiras intenções. Apesar de tudo, considero que Choco Gourmet tem o essencial para ser servido numa festa de prova de vinhos, queijos ou sushi, sendo, nos seus melhores dias, até funcional e ideologicamente capaz de substituir qualquer um destes elementos. O seu maior inimigo será sempre, em qualquer latitude, as altas expectativas que sobre ele recairão.

 

Então e para lá do prazo de validade?

Sendo Gourmet, este iogurte tem tudo para, tal como um queijo ou vinho gourmet, ficar ainda melhor conforme o tempo por ele passe e acaricie como só o tempo sabe. Recomendo que aguente uns meses de affinage e se delicie com um postre provavelmente mais complexo, valoroso e dotado de notas mais puras e definidas.

 

E em termos de nódoas?

Não sei e você também nunca saberá se comer como um homenzinho. É gourmet, caramba, tenha tino!

 

Há uma colher ideal para uma degustação em toda a sua plenitude?

Qualquer uma que transpire classe e primor.

 

Nota final: 12

 

Crítico Prova Limpa

Jaime



publicado às 00:00
comentar

Comentários

De Alexandre Kulcinskaia a 18 de Julho de 2009 às 12:08
Estou maravilhado.


De Fidalgo Trenó a 18 de Julho de 2009 às 01:17
Jaime no seu melhor. Assim sim, vale a pena. No outro dia fui comprar o iogurte com pedaços de cerejas Burlat... foi uma experiência de 17 valores. Tudo graças ao Jaime. Obrigado.


De a 17 de Julho de 2009 às 18:09
e informaçao de ultima hora:

deixa nódoa!!!


De Senhor Patrao a 17 de Julho de 2009 às 15:10
Exmo. Sr. Jaime.

Vinha por este meio congratulá-lo pela excelente apreciação que elaborou, e tambem aproveitar para lhe fazer uma pequena sugestão.
Como se mostra um verdadeiro Connaisseur em termos de apreciaçao gourmet, sugeria-lhe que brevemente nos elaborasse um artigo sobre a qualidade e distinção das diversas cervejas portuguesas, para acabar com o tão discutido assunto "qual a melhor".
Penso que depois da sua opinião, a discussão abrandava.

Cumprimentos
SenhorPatrao


De Edgar Colaço a 18 de Julho de 2009 às 16:47
Caro Senhor Patrão,

Essa idéia do artigo sobre as cervejas é, sem dúvida, uma excelente idéia. Contudo, devo dizer que só na cabeça de uma pessoa relativamente ignorante é que pode haver dúvidas sobre qual cerveja é a melhor.

Sagres. Sem dúvida.

Devo dizer que estou muito longe de ser patriota, já que gosto mais de levar porradas na cabeça do que gosto deste país, mas tendo degustado já uma grande parte das cervejas de renome a nível internacional, devo dizer que, se há algum motivo de orgulho em Portugal, é a Sagres.

É, muito provavelmente, a melhor cerveja do mundo. Ainda não encontrei nenhuma que lhe chegasse aos pés.

De tal maneira, que faço sempre continência e dou sempre prioridade a um camião do referido néctar. Nem que me tenha que pôr à frente de uma ambulância em marcha de emergência.


De Senhor Patrao a 19 de Julho de 2009 às 14:31
Tenho a dizer que acho muito dignas as suas atitudes em relaçao a dita cuja marca de cerveja.
Uma ambulância pode sempre esperar, mas quem tem o direito de fazer um homem esperar pela sua Sagres?

Mas tambem tenho a dizer que a Super Bock, no momento certo, pode ter um efeito devastador. E ha que respeitar todas as variações de cerveja já lançadas para o mercado por esta marca.

E ha que louvar a imperial, que não sendo na minha opinião, uma boa opção, conseguiu no sul do país substituir o termo "cerveja de pressão".

Penso que, respeitando vários criterios, era um assunto passivel de ser debatido.


De Luís a 19 de Julho de 2009 às 20:59
Cerveja não é digna de gourmet. Sugiro vinho.


De Senhor Patrao a 19 de Julho de 2009 às 23:41
E iogurte yoplet é? lol
Sugeri cerveja porque ja houve um artigo dos GANA sobre o vinho, na ENA.


De Iougurteiro a 17 de Julho de 2009 às 13:21
Caro Jaime,

É com enorme prazer que vejo mais uma análise de V.Exa. Desta feita, infelizmente não se trata de um iogurte mas tal facto é compensado pela sempre agradável possibilidade de se lamber a tampa.

Dada a experiência de V.Exa neste campo, questiono-o sobre o modo como deve ser efectuada a prova. Devo seguir a sugestão de de apresentação ou V.Exa terá outra recomendação.

Todavia e considerando a nota final, na qual tenho plena confiança, tenho para mim que possivelmente irei dispensar a sua prova.

Os melhores cumprimentos,

Iogurteiro


De Iogurteiro a 17 de Julho de 2009 às 13:24
Claramente que me equivoquei e cometi um lapsus linguae ao digitar o meu nome...

Atentamente,

Iogurteiro


De corrector ortografico a 17 de Julho de 2009 às 18:39
Caro amigo, fica a correcção:

se cometeu um erro ao digitar o seu nome, esse erro dá pelo nome de "lapsus calami" e não "lapsus linguae".


De LMM a 17 de Julho de 2009 às 11:55
Que estupidez teria eu cometido caso mantivesse a minha inicial promessa de ontem...

Perderia esta pérola do Jaime, este gourmet cómico que compensa uma semana de amargas desilusões. Que doce ironia (ou é erotismo? confundo estas palavras sempre).

LMM


De anonimo08 a 17 de Julho de 2009 às 10:27
bem... e com tudo isto... lá tenho de ir a correr comer um papoceco com manteiga e beber um bongo :)


De Zé Mamalhudo a 17 de Julho de 2009 às 08:55
O momento mais alto da semana! :D
PArabens Jaime!


De obshxmexidshx a 17 de Julho de 2009 às 12:08
Subscrevo os anteriores comentários do mamalhudo e LMM - como diriam os comentadores da NBA - On Fire!!!



Comentar

Últimos notícias