Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

CENA

CENA

15
Jan09

Desafios do Macaco Inimigo VII

gana

 

À entrada para a sua sétima semana de absoluta invencibilidades, Macaco-Inimigo recebia um dos nomes mais emblemáticos da canção popular lusa: José Crispim, a face masculina do dinâmico duo "Ele e Ela". Macaco-Inimigo, em declarações à imprensa da especialidade, revelou ser deveras importante o alcance da sétima vitória consecutiva, como forma de se afirmar, ainda mais, como a maior potência bélica da CPLP. Macaco-Inimigo fez notar ainda que a internacionalização é o seu objectivo seguinte (após contundente vitória sobre um brasileiro) e, nesse sentido, uma vitória sem espinhas sobre Crispim assumia contornos de quase obrigatoriedade. Crispim, desculpando-se com um afável gesto, não fez qualquer declaração pré-duelo porque estava a resolver um equívoco por telefone.

 

 

 

 

Gelado de que sente mais saudades:

 

JOSÉ CRISPIM: Calippo de Cola

MACACO-INIMIGO: Pé

 

Vantagem: José Crispim



   

Vezes em que foi o primeiro a chegar a uma festa:

 

JOSÉ CRISPIM: sempre

MACACO-INIMIGO: quase sempre

 

Vantagem: José Crispim

 


  

Tropa:

 

JOSÉ CRISPIM: passou à reserva porque já era pai de três garotos

MACACO-INIMIGO: não fez, fingiu que ouvia mal de um ouvido.

 

Vantagem: José Crispim

  


   

Relação com o plástico bolha de ar:

 

JOSÉ CRISPIM: rebenta todas as bolinhas, sempre todo contente

MACACO-INIMIGO: começa entusiasmado, mas farta-se a meio e vai fazer outra coisa

 

Vantagem: José Crispim

  


  

Quando vai buscar alguém a casa:

 

JOSÉ CRISPIM: apita até a pessoa sair

MACACO-INIMIGO: manda toques de telemóvel até a pessoa sair

 

Vantagem: José Crispim

 


  

Quando sai à noite:

 

JOSÉ CRISPIM: leva a esposa e um casal amigo

MACACO-INIMIGO: acaba a noite em casa de alguém e arrepende-se sempre

 

Vantagem: José Crispim

 

   


 

Conclusão: E é a surpresa da década, no que diz respeito a este desporto milenar. Macaco-Inimigo, invicto até à data, levou seis secos de José Crispim, que, diga-se de passagem, nem parecia estar no seu melhor em termos físicos, revelando mesmo alguma fadiga em determinados momentos. Por um lado, ainda bem que assim foi, porque houve espaço e oportunidade para assistirmos a uma majestosa gestão de esforço e controlo da situação por parte de José Crispim. Macaco-Inimigo sai sem honra, tampouco glória, uma vez que o júri lhe deu um grande raspanete por ter mentido na inspecção para a tropa. Macaco-Inimigo ainda tentou fingir que ouvia mesmo mal de um ouvido, mas passado um bocadinho esqueceu-se e olhou quando o chamaram. O júri não tolera mentiras e Macaco-Inimigo terá cometido aqui o maior erro da sua carreira; carreira essa que, relembramos, se encontrava imaculada até à data. Uma nota final para o vencedor, José Crispim, que revelando fair-play de calibre ímpar, emprestou uns cabos para carregar a bateria do carro da Macaco-Inimigo, que não pegava.

14 comentários

Comentar post

Pág. 1/2

Mais sobre mim

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2011
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2010
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2009
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2008
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D