Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

CENA

CENA

13
Nov09

Sugestões de fim-de-semana

gana

 

Após um ano de produção e convívio ininterrupto com todas as suas excelências mal agradecidas, o CENA chega ao final desta inesquecível etapa que tanto carácter formou. Assim, e ao invés de sugestões para o sábado e domingo mais inócuos da sua vida (dia 14 e 15, sim), deixamos antes sugestões para a vida, nas oportunas categorias “Homem”, “Mulher” e “Criança”. Siga-as à risca, que nem o seguidor de um culto, e impinja-as aos seus amigos, que nem uma daquelas pessoas que faz ioga.

 


Homens


Não ofenda as pessoas verbalmente, use antes gestos para descarregar a sua raiva momentânea. Gestos como aquele de fazer um pirete enquanto se finge que coça o nariz têm quase o mesmo efeito e a pessoa visada ficará na dúvida, tem que amochar e mais nada. Seja uma pessoa melhor e admita que o seu clube foi beneficiado em determinado lance, mas não ouse desculpar os árbitros, referindo a dificuldade da posição, etc., que aquilo é gente que não merece nada e que rouba o [insira o nome do seu clube] sempre que pode. Não ajude a jovem mãe a descer as escadas com o carrinho de bebé apenas se ela for gira e toda rija. Pare de fingir que não vê quando é uma senhora que ainda não recuperou os quilos da gravidez; assim com’assim, as suas hipóteses são sempre nulas, homem, que a mulher acabou de ser mãe. Já agora, não vá logo a correr pedir o divórcio à sua mulher e destruir a sua família só porque uma cachopa qualquer se inclinou sobre si e um de seus seios acima da média esteve postado no seu ombro durante uns segundos. Sair de casa e ir tocar à porta dessa moça será demasiado repentino, provavelmente. E, se for para os copos, deixe o celular em casa, caso contrário é certinho que vai ligar a uma ex-namorada, lá para as quatro da manhã, a dizer que ainda a ama. Não faça figura de urso e, acima de tudo, não lhe dê esse prazer. Essa mulher não vale nada. Esqueça-a, mas é, e distraia-se vendo este educativo vídeo sobre responsabilidade e saber estar.
 

 


Mulheres


Não diga “não” quando é “sim”, e “sim” quando é “não”. A linguagem é o método comunicacional mais efectivo, tenha respeito por milhares de anos de evolução e obedeça à semântica que rege o resto do mundo. Pelo menos a mais básica, se fizer favor, não lhe custa nada. Se é uma mulher com relativo mercado, não se incline sobre os seus colegas de trabalho até um dos seus seios ficar postado num dos ombros de algum pobre diabo. Os homens têm dificuldade em perceber sinais, uma vez que gastam todo o seu equivalente a sexto sentido na percepção da lei do fora de jogo – aquilo é uma quantidade de variações, variantes e especificidades que não lhe passa pela cabeça. Tenha, então, cautela com essa situação da inclinação e do ombro, isto se não quiser ser responsável pela destruição de um lar e/ou ter um colega de trabalho a bater-lhe à porta com as malas nas mãos, já quase meia-noite. Deixe de obrigar o seu companheiro a ir às compras consigo e deixe de puxar os seus amigos que não gostam ou querem dançar para a pista de dança, que isso é apenas enervante. Não assuma que, lá porque tem um carrinho de bebé, se transformou numa ambulância dos passeios e todo o mundo tem que se desviar de sua excelência. Eu sei que é tudo coisas para não fazer, mas fique sabendo que pode fazer tudo o resto. Não é nada mau negócio, hã? Veja o vídeo seguinte, emocione-se e faça festinhas num gato.
 

 


Crianças


Ser criança nesta era pós-moderna é mais complicado que no tempo dos nossos pais ou avós. É certo que já não ninguém vai trabalhar nas férias aos onze anos porque teve três negativas, tampouco um garoto de seis anos deixa a escola para ir ajudar os pais num açougue, mas a verdade é que há inúmeros perigos e malfeitores à espreita. Garotos, não se metam na droga, que é um desgosto para os vossos pais, maior do que se chumbarem muitas vezes ou não conseguirem tirar o código da estrada. Não aceitem boleia de estranhos (ou “carona”, atenção, que são sinónimos, garotada!), que é só desculpas para vos roubarem aos vossos pais e vos venderem a um casal estrangeiro que nem é nada parecido com vocês, ou rebuçados, que têm droga, para vocês ficarem logo viciados e roubarem dinheiros das gavetas lá de casa. Mas, acima de tudo, não sejam refilões para os vossos pais e sejam amigos dos vossos irmãos. Não dêem com a lombada dos livros na cabeça deles, por exemplo. Aquilo dói. Joguem muitos jogos com os vossos amigos, sendo o que está presente no vídeo seguinte um dos mais indicados em todos os aspectos.

 

53 comentários

Comentar post

Pág. 1/4

Mais sobre mim

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2011
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2010
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2009
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2008
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D