Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

CENA

CENA

13
Nov09

Sugestões de fim-de-semana

gana

 

Após um ano de produção e convívio ininterrupto com todas as suas excelências mal agradecidas, o CENA chega ao final desta inesquecível etapa que tanto carácter formou. Assim, e ao invés de sugestões para o sábado e domingo mais inócuos da sua vida (dia 14 e 15, sim), deixamos antes sugestões para a vida, nas oportunas categorias “Homem”, “Mulher” e “Criança”. Siga-as à risca, que nem o seguidor de um culto, e impinja-as aos seus amigos, que nem uma daquelas pessoas que faz ioga.

 


Homens


Não ofenda as pessoas verbalmente, use antes gestos para descarregar a sua raiva momentânea. Gestos como aquele de fazer um pirete enquanto se finge que coça o nariz têm quase o mesmo efeito e a pessoa visada ficará na dúvida, tem que amochar e mais nada. Seja uma pessoa melhor e admita que o seu clube foi beneficiado em determinado lance, mas não ouse desculpar os árbitros, referindo a dificuldade da posição, etc., que aquilo é gente que não merece nada e que rouba o [insira o nome do seu clube] sempre que pode. Não ajude a jovem mãe a descer as escadas com o carrinho de bebé apenas se ela for gira e toda rija. Pare de fingir que não vê quando é uma senhora que ainda não recuperou os quilos da gravidez; assim com’assim, as suas hipóteses são sempre nulas, homem, que a mulher acabou de ser mãe. Já agora, não vá logo a correr pedir o divórcio à sua mulher e destruir a sua família só porque uma cachopa qualquer se inclinou sobre si e um de seus seios acima da média esteve postado no seu ombro durante uns segundos. Sair de casa e ir tocar à porta dessa moça será demasiado repentino, provavelmente. E, se for para os copos, deixe o celular em casa, caso contrário é certinho que vai ligar a uma ex-namorada, lá para as quatro da manhã, a dizer que ainda a ama. Não faça figura de urso e, acima de tudo, não lhe dê esse prazer. Essa mulher não vale nada. Esqueça-a, mas é, e distraia-se vendo este educativo vídeo sobre responsabilidade e saber estar.
 

 


Mulheres


Não diga “não” quando é “sim”, e “sim” quando é “não”. A linguagem é o método comunicacional mais efectivo, tenha respeito por milhares de anos de evolução e obedeça à semântica que rege o resto do mundo. Pelo menos a mais básica, se fizer favor, não lhe custa nada. Se é uma mulher com relativo mercado, não se incline sobre os seus colegas de trabalho até um dos seus seios ficar postado num dos ombros de algum pobre diabo. Os homens têm dificuldade em perceber sinais, uma vez que gastam todo o seu equivalente a sexto sentido na percepção da lei do fora de jogo – aquilo é uma quantidade de variações, variantes e especificidades que não lhe passa pela cabeça. Tenha, então, cautela com essa situação da inclinação e do ombro, isto se não quiser ser responsável pela destruição de um lar e/ou ter um colega de trabalho a bater-lhe à porta com as malas nas mãos, já quase meia-noite. Deixe de obrigar o seu companheiro a ir às compras consigo e deixe de puxar os seus amigos que não gostam ou querem dançar para a pista de dança, que isso é apenas enervante. Não assuma que, lá porque tem um carrinho de bebé, se transformou numa ambulância dos passeios e todo o mundo tem que se desviar de sua excelência. Eu sei que é tudo coisas para não fazer, mas fique sabendo que pode fazer tudo o resto. Não é nada mau negócio, hã? Veja o vídeo seguinte, emocione-se e faça festinhas num gato.
 

 


Crianças


Ser criança nesta era pós-moderna é mais complicado que no tempo dos nossos pais ou avós. É certo que já não ninguém vai trabalhar nas férias aos onze anos porque teve três negativas, tampouco um garoto de seis anos deixa a escola para ir ajudar os pais num açougue, mas a verdade é que há inúmeros perigos e malfeitores à espreita. Garotos, não se metam na droga, que é um desgosto para os vossos pais, maior do que se chumbarem muitas vezes ou não conseguirem tirar o código da estrada. Não aceitem boleia de estranhos (ou “carona”, atenção, que são sinónimos, garotada!), que é só desculpas para vos roubarem aos vossos pais e vos venderem a um casal estrangeiro que nem é nada parecido com vocês, ou rebuçados, que têm droga, para vocês ficarem logo viciados e roubarem dinheiros das gavetas lá de casa. Mas, acima de tudo, não sejam refilões para os vossos pais e sejam amigos dos vossos irmãos. Não dêem com a lombada dos livros na cabeça deles, por exemplo. Aquilo dói. Joguem muitos jogos com os vossos amigos, sendo o que está presente no vídeo seguinte um dos mais indicados em todos os aspectos.

 

06
Nov09

Sugestões de fim-de-semana

gana

 

Chegado o último dia da penúltima semana do seu adorado CENA, deixamos três sugestões para o seu sábado e/ou domingo. Sim, é o mesmo formato de todas as outras semanas, não se percebe por que raio isto tem que ter sempre uma introdução. 

 


Opção um


Arme-se em carapau de corrida e vá ao Estoril Film Festival, essencialmente para depois poder dizer às pessoas de forma irritante. Logo na sexta à noite, saque torrents dos filmes que for ver - e que estreiam neste festival -, passando depois a noite a vê-los. No dia seguinte, beba vários cafés para se manter desperto e impressione a sua companhia com o seu conhecimento premonitório sobre os filmes. Essa pessoa ficará impressionada e, mesmo que não seja nada de jeito e você não queira dormir com ela, a informação relativa à sua inteligência há-de chegar aos ouvidos de quem lhe agrade minimamente. Se não lhe apetecer ir, que é o mais provável, não seja visto por ninguém durante todo o fim-de-semana e depois diga que foi ao Estoril Film Festival. Não deixe de inventar uma história engraçada envolvendo uma personalidade.

 

Exemplo de história engraçada (use outra, podemos precisar desta): “encontrei o Cronenberg à saída e perguntei-lhe se ele estava contente por ter arruinado a hipótese do teletransporte para a humanidade com o seu filme d’A Mosca. Ele tentou-me acertar com cuspo, mas eu desviei-me e ele acertou num garoto que lá estava, mesmo na cara. Os pais desse garoto vão processá-lo.”

 

O actor Jeff Goldblum, todo nu, usou o

teletransporte de forma deficiente e agora

ninguém quer investir neste projecto.

 


Opção dois


Quer antes um fim-de-semana carregado de emoção? Então vá ao Multibanco, engane-se duas vezes no código de propósito e, antes de tentar uma terceira vez, rodopie, dê umas dez voltas sobre si próprio, e depois tente acertar. Será como jogar à roleta russa, mais ou menos. É uma emoção. Se falhar, queixe-se ao Banco e diga que já não é a primeira vez que a máquina lhe engole o cartão sem razão. É provável que, neste caso, seja confrontado com as imagens das câmaras de segurança, onde, relembramos, estará você rodopiando antes de inserir o seu código de multibanco. Pode ser uma situação desconfortável perante várias pessoas de fato e gravata que têm empregos a sério, num banco, mas você deve ripostar, gritando variantes de “imagens alteradas” ou “contrataram um actor parecido comigo para eu fazer figura de urso”, e ameaçando com a mudança para um banco pior. O mais provável é que lhe baixem a prestação da casa e que o cartão novo esteja pronto na hora.

 

Junta-se uma pequena multidão para ver um homem

usufruir, após rodopiar que nem uma criança, da sua

3ª tentativa para acertar o código.

 


Opção três


Organize um jantar de turma à pressa – sexta à noite, já depois das 23h, para o dia seguinte. Veja quantos dos seus ex-colegas de escola são suficientemente falhados para aparecer. De notar que o nível de tristeza situacional cresce conforme se desce no nível académico de onde conhece as pessoas (Universidade> Liceu> C+S> Primária> Infantário> Ama). Sinta-se poderoso e bem-sucedido, por comparação, apesar de, bem vistas as coisas, também estar no jantar de turma. Diga às pessoas que é médico, apesar de todos saberem perfeitamente que fez o secundário em letras – afinal de contas, eram todos da mesma turma. No final, pergunte se é a dividir por todos, e, se for, peça um uísque velho. Vá a correr para casa depois, adicionar no Facebook as raparigas que até lhe pareceram-me mais ou menos ou acima de mais ou menos após o uísque velho. Isto se alguma rapariga for, não conte com isso.

 

O jantar de turma. O mais provável é só ir você e

outra pessoa, sendo que essa pessoa levará os pais (na foto,

à direita).


 

Por falar em jantar, não deixe de ver um filme - o que se segue - que lhe vai dar fome relativa, dependendo de que horas forem:

 

30
Out09

Sugestões de fim-de-semana

gana

 

Vem aí o fim-de-semana e cá está aquilo por que esperou a semana inteira, eventualmente: as sugestões para o que fazer no Sábado e no Domingo. São três e, se for mulher e achar que isto é demasiado direccionado para o sexo masculino, basta mudar o género às referências que achar desfasadas da sua realidade. É fácil e acaba por ser um simpático exercício de morfologia.

 


Opção um


Sábado vá a uma festa de Halloween para perceber que sair de casa é actividade bastante sobrevalorizada. Domingo fique mas é em casa, veja todos os episódios do CSI que conseguir e faça um apanhado de quantas vezes o culpado é a primeira pessoa com quem vão falar, quantas vezes é a segunda, quantas vezes é a terceira e quantas vezes é a quarta. Depois, use esta informação para, segunda de manhã, fazer conversa de circunstância no elevador (silêncios neste espaço são de matar uma pessoa, credo, e há prédios de quinze andares, pelo menos) ou quebrar o gelo com aquela mulher com a qual, apesar de saber perfeitamente que tem zero hipóteses de vir a ver sequer em fato de banho, quer ser visto a conversar, impressionando assim todos os demais mortais. Nas conversas com essa pessoa, deverá, como é evidente, adoptar a postura “sim, ando-me a pôr nisto”, de modo a criar de facto inveja nas pessoas. Se estiver desempregado, meta a informação estatística sobre o CSI num Powerpoint e crie um daqueles mails forward de que toda a gente gosta.

 

Você no escritório a apresentar o seu estudo

sobre o CSI, se fosse o Dickens.

 


Opção dois


Vá a uma festa de Halloween e veja quantos idiotas confundem Halloween com carnaval e vão vestidos de mulher/bebé/Hitler ou afim. O importante é que saia de casa, conviva, mas sempre com a certeza de que levar um tiro ou facada por alguém é ocorrência que o tornará num herói para sempre. Sim, se é uma pessoa de personalidade detestável – que é o mais provável, não engana ninguém -, recorra a esta manigância para todos passarem a achar que é uma pessoa admirável. Para potenciar as hipóteses de levar um tiro ou facada por alguém, deve, por exemplo, meter-se em toda e qualquer quezília que vislumbrar, se possível entre bêbados/depois do Braga x Benfica/entre pessoas claramente armadas (juntar estas três variáveis seria o ideal, de resto). Em Lisboa, é certo que lhe mandam um tiro, resta saber se lhe acertam. Evite é levar um tiro ou facada na cara, adoptando nesse sentido a posição “fazer barreira”.

 

Cautela, que há canalha que, ao invés de lhe dar um tiro ou facada,

prefere atiçar-lhe um cão. Não se meta nisso, que não dá status nenhum

e as pessoas ainda têm é pena do cachorro.

 


Opção três


Saia no sábado e domingo, frequentando todo e qualquer espaço comercial que tenha uma mulher atrás dum balcão e namorisque com elas. Porque têm que ser simpáticas com todos os clientes e potenciais clientes, vai-lhe parecer que estão a reagir positivamente ao seu charme absolutamente nulo, o que, sem sombra de dúvida, colocará o seu ego nos píncaros. Na segunda-feira, quando for trabalhar, é provável que transpire confiança e as primeiras três tampas às suas investidas baratas não façam mossa na sua insegura existência. À quarta ou quinta você cairá na real e voltará à sua triste existência, mas foi bom enquanto durou. Se não quiser fazer isto, combine um paintball com amigos e vá vestido à Rambo (leve é um casaco de cabedal para vestir depois, que aquilo é bolinhas, mas ainda aleija) ou decore a letra duma cantiga e aproveite todo e qualquer momento para a cantar de início ao fim.

 

Mulher falando com um velhadas que, como todo e qualquer

homem, confunde "simpatia inerente às funções" com "dar bola".

 


 

Se quiser decorar a letra duma cantiga, recomendamos esta, que até é fácil:

 

23
Out09

Sugestões de fim-de-semana

gana

 

Desta feita, apresentamos três sugestões de fim-de-semana bem distintas entre si. Pode optar pela opção “desportivo”, opção “cultural” ou opção “utilitário”. Não pode acumular, que isto não são os pontos do cartão de gasolina da Shell ou lá que porra era aquilo que havia aqui há uns anos. Escolha um, apenas, já não é nenhum garoto.

 


Fim-de-semana desportivo


Cada vez mais mulheres fingem gostar de desporto, nomeadamente porque lhes permite dar gritinhos em público e usar cachecóis como substituto funcional de tops (coisas que, geneticamente, as mulheres tendem a gostar), por isso não se preocupe se é indivíduo comprometido e um fim-de-semana desportivo seria sempre sinónimo de incontáveis acções passivo-agressivas por parte de sua companheira. Posto isto, recomendamos, por exemplo, que no sábado vá com seu bem assistir ao vivo ao Rio Ave x Braga (se for do norte) ou ao União de Leiria x Naval (se for da zona centro). Se for do sul do país, vá à bola no domingo, ao Vitória de Setúbal x Leixões, que é o melhor que se arranja em termos logísticos. Se não estiver para gastar uma nota preta para rapar frio e ver um jogo que fica 0-0 ou que tem golos quando você estava a ver as horas no telemóvel, faça antes um totobola. Tem que registar isso ainda na sexta-feira (jogue sem duplas ou triplas, como um homem), mas tem que acompanhar catorze jogos durante o fim-de-semana inteiro para saber se ganhou alguma coisa. Não vai ganhar nada, evidentemente, mas é possível que, até domingo antes de jantar, esteja em êxtase a achar que ainda pode fazer um onze.

 


A carica gigante insuflável da Sagres, um dos grandes atractivos

do nosso campeonato primodivisionário. Se tiver garotos,

não os leve consigo à bola, que se eles vêem isto, querem

logo uma para brincarem e depois é uma chatice que você

não encontra isto em lado nenhum e o mais certo é estar a

educar filhos que vão ser maus para si quando for velho.


Faça isto se: tiver pachorra para explicar o que é um remate perigoso à sua namorada.
Não faça isto se: já não for a primeira vez que leva uma bolada mesmo na cara quando vai ao futebol.
Palavras-chave: Domingos Paciência, Carlos Brito, o Niquinha ainda joga no Rio Ave?, totobola da máquina não existe, seu urso, isso é no euromilhões.
 


Fim-de-semana cultural


Neste quadrante, recomendamos que marque intelectual presença num evento de cultura elitista ou de nicho, que, como é sabido, se trata do género de cultura que a larga maioria dos homens finge gostar para aumentar a possibilidade de tocar mulheres nuas. Não obstante, a presença em eventos culturais desta estripe tem também a função de ver validada a sua inteligência por parte de todos os outros indivíduos presentes. Procure num motor de busca, ou num daqueles guias culturais que as câmaras municipais agora fazem, coisas perto de si que tenham “happening”, “conferência”, “ciclo”, “performance”, “lançamento”, “instalação” ou “live set” no título, já que serão com certeza suficientemente pretensiosas para as pessoas a quem disser o que fez no fim-de-semana abanarem ao de leve a cabeça para cima e para baixo, deixando escapar até um “ohhh” de aprovação manienta. Beba vários cafés, para não correr o risco de adormecer, que isso é ocorrência para se ver ostracizado do circuito das pessoas inteligentes (e eles são piores que animais, não querem saber de desculpas) e para a sua companheira nem sequer voltar a tirar a parte de cima para fazer amor consigo, tal é o desgosto. No mesmo sentido, procure não suspirar, já que, além de, a nível fonético, ser facilmente confundível com um bufar, é muitas vezes assumido como manifestação de enfado.

 

Uma performance de arte contemporânea, que, descontextualizada

pode parecer aquelas imagens de iraquianos a serem torturados por

tropas da América. Calhando até é uma metáfora sobre isso.

 

Faça isto se: tem notado que, cada vez mais, as pessoas o corrigem.
Não faça isto se: é para estar o tempo todo a tentar saber quanto está o Rio Ave x Braga, o União de Leiria x Naval ou o Setúbal x Leixões.
Palavras-chave: conversa de circunstância com palavreado caro, beberete (vá cedo, que pode haver), cautela ao misturar bebidas (pode haver beberete variado, vá cedo).
 


Fim-de-semana utilitário


Fim-de-semana não tem, de forma alguma, que significar lazer e languice. Faça algo de útil e finja que não fez nada de divertido porque tinha precisamente afazeres, em vez de ter a certeza de que não fez nada de divertido porque não tem vida e é um falhado duma figa, até mete dó. Recomendamos, então, e por exemplo, que vá trocar umas calças que lhe ficam demasiado apertadas, mas que, no caso de ser homem, trouxe na mesma porque estava cheio de pressa para perseguir a rapariga gira que estava a micar quase desde que chegou à loja e que estava a ir embora para outro piso, provavelmente aquele que é só cuecas e soutiens de mulher, ou, no caso de ser mulher, trouxe na mesma porque estava com um homem com quem se queria envolver a nível de ficar nua, toda nua, e quis que ele ficasse a achar que usava mesmo três números abaixo da realidade. Se não tiver calças para trocar, é ficar em casa, que nem um falhado(a) tão grande que até enerva os nervos. Você é que sabe.

 

A última foto que aparece

quando escrevemos "calças"

num famoso motor de busca.

Trata-se dum senhor chamado

Fernando e é do seu perfil Hi5.


Faça isto se: não tiver calças lavadas e a loja onde se troca até for mais ou menos perto
Não faça isto se: não souber do talão, que eles não trocam, não vale a pena, embora possa sempre levar um papel ilegível e diga que é o talão, mas que ficou ao sol/foi à máquina.
Palavras-chave: calças, trocar, apertado, uma pessoa quase que desmaia, varizes, esterilidade masculina.


 

Para finalizar, e numa tentativa de o deixar ainda mais indeciso e chegar ao ponto de começar a ter ataques de ansiedade, cá deixamos um pequeno vídeo que mistura todos estes três tipos de fim-de-semana.

 

16
Out09

Sugestões de fim-de-semana

gana

 

Nesta primeira edição do “Sugestões de fim-de-semana”, apresentamos, por questões logísticas e de, embora com menor incidência, facilitismo, os programas para sábado e domingo de Moreira, Pombeiro e Santo (ordem alfabética), o triunvirato que já nem se pode ver à frente a não ser para comer fora, mas que ainda é, até ver, responsável por este espaço e tudo o que ele representa. De seguida, e por ordem de nascença, ficam então os planos de fim-de-semana desses três indivíduos. Escolha sensatamente ou viva para sempre atormentado com essa falha.

 

 


João Pombeiro


Este homem recomenda-nos que se juntem a ele num formidável sábado a montar e editar o próximo episódio de Aleixo na Escola, momentos que serão sofisticadamente intervalados com rápidos passeios à beira-mar sempre que, devido às horas que passa em frente ao monitor, começar a chorar dos olhos de tanta dor de cabeça e pontadas. Os passeios à beira-mar não demoram mais porque Pombeiro começa a imaginar ralhetes de Santo e Moreira (ordem de agressividade) por não estar a montar os vídeos e vai a correr para casa, todo aflito. Ainda no sábado, porém já noite, pode divertir-se a ouvir a música que vem da dancetaria-discoteca Green Hill, mas só quando for ao banheiro (razão: só se ouve lá, as paredes são de pladur – não tenha pena, Pombeiro paga uma renda pornograficamente baixa; tenha pena de Santo, que sofre que nem um animal em Lisboa). Domingo será dia de ir almoçar a casa de seus pais (rissóis de delícias do mar, uma vez que Pombeiro faz o favor de ser vegetariano e estragar a ementa de toda a gente) e ir a casa de Santo gravar coisas dum disco externo. À noite, é tempo de acabar de montar e editar o episódio de Aleixo na Escola. Sim, que Pombeiro, esse langão, acaba sempre de véspera, madrugada dentro, porque, segundo consta, passa a vida à procura de trivialidades no Facebook para meter aquilo do “Gosto!”.

 

Pombeiro, aqui a montar um vídeo, vigiado de perto por um agiota

eslavo a quem Santo deve dinheiro e deu uma morada falsa.

 

Vá com ele se: quiser aprender atalhos no Paint ou Movie Maker.

Não vá com ele se: já souber o que raio é afinal pladur e não tiver curiosidade.

Palavras-chave: CTRL+T, CTRL+F, ALT GR + F5, ALT + F10.

 

 


Pedro Santo


No Sábado, Santo tem um casamento e recomenda-nos que se juntem a ele. É certo que este homem será a pessoa de indumentária menos apropriada de toda a cerimónia, sendo também certo que acabará bêbado e a atirar caroços de azeitona através duma folha de papel toda enrolada. Será divertido e poderá ver como é possível um homem feito andar a correr que nem um parvinho junto com todos aqueles garotos cujo único divertimento em casamentos passa exclusivamente por correr feitos parvos, já todos desfraldados e com as bochechas coradas. Depois do casamento, já noite escura, Santo ainda deve querer ir sair, mas o mais provável é a pica passar-lhe assim que se sentar ao volante, acabando por dormir, mais uma vez, na sua viatura a trinta quilómetros de casa. Domingo, por seu turno, apresenta-se como habitual dia de esturrar dinheiro em apostas, sendo garantido que o dinheiro investido neste digno vício terá origem em deduções cirúrgicas no valor da visita do casamento do dia anterior. Uma postura adequada ao pulha que é este Santo. Pombeiro chegará durante a tarde para gravar umas coisas ou lá que bodega é, mas Santo nem se dignará a levantar as nalgas do sofá da sala, onde estará apenas de cuecas e, provavelmente, ainda com 50% do calçado que levou ao casamento do dia anterior.

 

"Playmobil Casamento": a ideia que levou esta icónica empresa

à falência em cerca de três quartos de hora.

 

Vá com ele se: achar que emprestar 10€ para investir numa "aposta segura" é positivo.

Não vá com ele se: achar que emprestar 10€ para investir numa "aposta segura" é negativo.

Palavras-chave: melão com presunto, porrada num casamento, aposta segura que afinal não era porque tiveram logo um expulso ao início, disco externo.

 

 


João Moreira


Moreira deslocar-se-á, no primeiro dia do fim-de-semana, a Braga, onde será júri de um festival de curtas. Provavelmente irá no comboio mais caro porque gosta de ir ao vagão-restaurante discutir a Monarquia e o protocolo de cortejo às mulheres do último quartel do século XIX e primeiro do século XX. De notar que o comboio mais barato não tem vagão-restaurante e, quando, por razões várias, tem que ir nesse, Moreira chega sempre maldisposto aos sítios. Portanto, se quiser ir com ele, estude aqueles assuntos para Moreira o achar uma boa companhia para se ter dois dedos de conversa. Como se mencionou acima, João fará parte do júri, júri esse que, diga-se apenas a título de curiosidade, será composto por dois profissionais com provas dadas nas respectivas áreas e um garoto de Coimbra. Domingo é dia de regresso à cidade dos estudantes, aplicando-se, mais uma vez, a regra da viagem de comboio para Braga, excepto se algum dos restantes elementos do júri lhe der boleia. Se for o caso, Moreira fingirá ir a dormir, uma vez que não consegue lidar com silêncios desconfortáveis. Chegado a casa, Moreira será de pronto desprezado pelo seu gato e irá ao computador ver se já há Narutos novos no Youtube. Se não houver, irá passear pela zona boémia da cidade, galanteando sem critério, numa tentativa vã de esquecer o desgosto enorme que é não ter Narutos para ver. Tem ainda o aniversário de um bom amigo, mas esse bom amigo ainda não sabe se vai fazer festa porque calha a um domingo.

 

Moreira, aqui à conversa com dois confrades, aproveitando a

paragem do comboio em Gaia.

 

Vá com ele se: quiser impressionar a mulher que ama e que vê sempre as curtas metragens que dão no Onda Curta, ocasião em que você, que quer ver o Domingo Desportivo, nem pia e vê também.

Não vá com ele se: não lhe apetecer discutir Narutos com um burguês de 1934

Palavras-chave: comboio, século XIX, se calhar há bolo de anos no domingo à noite, Stimpy.

 


 

Se estiver indeciso em relação a que programa escolher, veja um magnífico vídeo didáctico que lhe ensinará um jogo, clicando aqui. Se não estiver indeciso, não clique.

Mais sobre mim

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2011
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2010
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2009
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2008
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
Em destaque no SAPO Blogs
pub